Fundos Multimercados: O Que Estudar Para A Certificação?

Fundos Multimercados — O Que Estudar Para Tirar A Certificação?

Você sabe quais certificações são necessárias para atuar com fundos multimercados, um produto com procura crescente no mercado brasileiro? Veja neste artigo o que você precisa estudar e saiba como começar.

Fundos multimercados estão entre as opções de investimento com procura crescente no mercado brasileiro. Normalmente, eles apresentam uma boa liquidez, alta rentabilidade e riscos controlados — o que chama atenção daqueles que têm um perfil de investidor moderado. 

Segundo a pesquisa Raio-X do Investidor 2021, realizada pela ANBIMA, pela primeira vez em quatro anos — desde que o levantamento começou a ser feito —, os fundos de investimento ocuparam mais espaço na carteira de aplicações dos brasileiros, enquanto a poupança tem perdido. 

Por este motivo, devido ao aumento na busca por esse produto, vale a pena que você invista em certificações que habilitem trabalhar com essa solução.

Neste artigo, vamos explicar porque essa opção vale a pena e o que você deve fazer para tirar o seu certificado. 

Por que tirar certificação para trabalhar com Fundos Multimercados?

Os fundos multimercados são uma categoria de fundos de investimentos. Sendo assim, seguem essa mesma lógica de um “condomínio” financeiro, no qual diversos investidores juntam recursos para aplicar em um produto.

Existem diversos tipos de fundos e, normalmente, os investimentos são concentrados em um produto específico. Por exemplo, os imobiliários devem aplicar somente nesse segmento, assim como o de ações ou os cambiais. 

Diferente desses, os fundos multimercados não têm essa obrigação, podendo — e devendo — alocar o dinheiro em diferentes investimentos de renda fixa e variável, a fim de proporcionar mais rentabilidade. Para isso, podem seguir diversas estratégias, níveis de riscos e aportes. 

Em todo e qualquer fundo, existe a figura do gestor, que é fundamental, pois é ele profissional quem define como o dinheiro será aplicado, recebendo uma taxa pela administração do capital. 

Nos fundos multimercados, sua atuação é ainda mais importante, uma vez que as opções de produtos são maiores e a divisão do capital exige uma análise de todos esses cenários.

Devido a sua importância, esse cargo de gestor é o topo da carreira financeira e só pode ser exercido por quem tem a certificação CGA (Certificação de Gestores da ANBIMA). 

Qual certificação é necessária para trabalhar com Fundos Multimercados?

A Certificação de Gestores ANBIMA é obrigatória para quem deseja trabalhar com gestão de fundos. Ela foi lançada em 2009 e, desde então, foi emitida somente para cerca de 4 mil profissionais. 

Só para você ter uma ideia do quão exclusivo é esse cargo, a CPA-20, uma das certificações básicas para quem trabalha no mercado financeiro, tem aproximadamente 180 mil certificados emitidos. 

Até 2020, somente a CGA era necessária para quem quisesse ser gestor, entretanto, em 2021, a ANBIMA atualizou a prova. Atualmente, para tirar esse certificado é pré-requisito que o candidato tenha uma outra certificação, a CFG (Certificação ANBIMA de Fundamentos em Gestão).

É muito importante frisar que a CFG não habilita para o trabalho como gestor, mas sim inicia o especialista nessa carreira, atestando que ele tem os conhecimentos básicos para a próxima fase — que, aí sim, seria a CGA.

Agora que você já sabe por que e como tirar a sua certificação para gerenciar Fundos Multimercados, veja o que é necessário estudar para as provas. 

O que estudar para trabalhar com Fundos Multimercados?

Se você já tem a CFG, vai precisar se preocupar só com a CGA. Entretanto, caso ainda não tenha, é preciso, primeiro, estudar para esse exame. Veja a seguir o que cai em cada uma das avaliações.

1. CFG

A Certificação de Fundamentos em Gestão tem 60 questões, que devem ser respondidas em três horas. Para tirar o certificado, é preciso acertar 70% das perguntas. Os assuntos que mais caem são:

  • mercado e instrumentos financeiros;
  • alocação de ativos;
  • métodos quantitativos;
  • teoria moderna de carteiras e modelos de precificação de ativos;
  • ética e autorregulação;
  • legislação e regulação.

2. CGA

A Certificação de Gestão ANBIMA tem 45 questões. O candidato tem 2h30min para resolvê-las e também deve acertar 70% para ser aprovado. As perguntas da prova são sobre:

  • gestão de carteiras – renda fixa;
  • gestão de carteiras – renda variável;
  • legislação, regulação e tributação;
  • avaliação de desempenho;
  • gestão de risco;
  • investimentos no exterior. 

Caso queira atuar dessa forma, veja neste artigo o que é necessário para ser um gestor de investimentos

Gostou ? Que tal compartilhar com os amigos ....

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe aqui seu comentário ...

Assine nossa newsletter
com conteúdo exclusivo.