Carteira De Investimentos: Como Montar Uma Rentável?

Carteira De Investimentos — Como Montar Uma Rentável Para Os Clientes?

Veja quais pontos você não pode deixar de analisar antes de montar uma carteira de investimentos para os seus clientes.

Montar uma carteira de investimentos para terceiros é uma verdadeira obra de arte. O trabalho precisa ser personalizado e levar em consideração aspectos muito pessoais a fim de, primeiro, fazer o dinheiro render, e segundo, gerar tranquilidade e segurança para o investidor.

Neste artigo, separamos alguns pontos que você não pode deixar de observar na hora de construir um portfólio de ativos para os seus clientes.

5 pontos para avaliar na hora de montar uma carteira de investimentos rentável

Muitas questões devem ser consideradas na hora de montar uma carteira de investimentos rentável. Entretanto, existem alguns pontos que são fundamentais. Veja quais são a seguir:

1. Perfil do investidor

Antes de mais nada, é preciso que você avalie qual é o perfil de investidor do seu cliente. Entenda como ele se sente em relação ao risco de perdas e, depois, classifique-o entre:

2. Objetivos e ciclo de investimento

O grau de rentabilidade que a carteira do seu cliente deve ter vai variar de acordo com os objetivos dele. Por isso, entenda quais são essas metas e em quanto tempo ele pretende cumpri-las. 

Além disso, também é preciso considerar a fase da vida do seu cliente e o seu ciclo de investidor, que pode ser um desses três:

  • acúmulo de patrimônio: geralmente na juventude. Nesses casos, os objetivos tendem a ser mais de longo prazo, o que permite correr mais riscos, pois há tempo de se recuperar de possíveis perdas; 
  • rentabilização: aumentar a lucratividade do patrimônio;
  • preservação do patrimônio: é quando o patrimônio já está construído e concretizado, por isso, não há porque correr riscos de perdê-lo. 

3. Prazos de investimento

Depois de entender os contextos do cliente, é importante compreender os prazos do investimento que pretende indicar, avaliando sua liquidez, a fim de que eles coincidam com os objetivos de curto, médio e longo prazo.

Nesse caso, é fundamental considerar a liquidez — rapidez para a conversão em dinheiro. 

4. Percentual a ser investido em cada classe de ativos

Quando tiver todas essas informações, estabeleça quantos por cento do capital deve ser investido em cada classe de ativos — conjunto de diferentes produtos financeiros que têm as mesmas características, tais como risco, rentabilidade e liquidez. São exemplos as ações e a renda fixa.

5.  Frequência e tamanho dos aportes

Por fim, conscientize seu cliente de que a rentabilidade da sua carteira de investimentos será proporcional à sua disciplina de aplicação — com que frequência ele investe e quanto investe. Por isso, defina com ele qual é a sua disponibilidade financeira para aportes mensais. 

Se você gosta dessa área de gestão de investimentos e sente que esse é um tipo de trabalho para você, vale a pena se qualificar e tirar as certificações da Anbima. 

Conte com o Cursos Edgar Abreu para alcançar seus objetivos e conquistar a certificação. 

Gostou ? Que tal compartilhar com os amigos ....

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram

Deixe aqui seu comentário ...

Assine nossa newsletter
com conteúdo exclusivo.